Cresce consideravelmente o número de pessoas preocupadas em viver em ambientes sustentáveis, ou seja, que além de garantirem um local ambientalmente correto, contribuem para que seus condôminos reduzam as despesas com manutenção dos espaços comunitários.

Os chamados Condomínios Verdes representam uma perspectiva nova de fazer com que cidadãos comuns contribuam efetivamente para a proteção do meio ambiente.

Utilizando-se de iniciativas personalizadas, cada perfil de condomínio poderá implantar modelos de gestão que possibilitem resultados a curto, médio e longo prazo.

O termo ‘desenvolvimento sustentável’ significa atender as necessidades da atual geração, sem comprometer a capacidade das futuras gerações em prover os seus recursos, ou seja, acessar os recursos naturais, sem esgotá-los, conciliando crescimento econômico com preservação do meio ambiente. Esse termo foi utilizado pela primeira vez, em 1983, pela Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, criada pela ONU. Presidida pela então primeira-ministra da Noruega, Gro Harlem Brudtland, essa comissão propôs que o desenvolvimento econômico fosse integrado à questão ambiental.

Atualmente as experiências com práticas sustentáveis nos condomínios vão além da sensibilização e mobilização dos condôminos sobre como descartar corretamente o seu lixo, fazendo a correta segregação entre orgânico e reciclável. O ideal é oferecer informações relacionadas à responsabilidade compartilhada sobre os ciclos de vida dos produtos, orientações sobre quais os resíduos  estão sujeitos à logística reversa e como viabilizá-la, compostagem, prevenção de desperdícios e mau uso da água e energia  e  até mesmo a  valorização dos espaços coletivos – jardins, áreas verdes, hortas – procedimentos para evitar desperdício de alimentos e seu uso integral.

Outros aspectos relevantes que devem ser considerados quando se decide implementar uma gestão sustentável em condomínios são os benefícios secundários, tais como: organização e valorização dos espaços internos e externos; prevenção de passivos ambientais; vantagens competitivas nos aluguéis ou vendas dos imóveis; geração de recursos financeiros com os recicláveis e responsabilidade coletiva/solidária com a proteção do meio ambiente.

Esse conjunto de boas práticas, quando implantadas com os recursos da Educação Ambiental, permitem a participação dos colaboradores, prestadores de serviços, locadores e moradores na tomada de decisões de mudanças e soluções inteligentes para uma gestão sustentável do espaço em comum.

Esse jeito novo de morar já tem adeptos no mundo inteiro e aqui no Brasil vem ganhando força com a grande expansão dos condomínios.

Em tempos de mudanças climáticas, onde os desastres ambientais estão mais frequentes, é louvável todas as iniciativas pessoais e coletivas que promovam a sustentabilidade.

Pensando em contribuir para a construção de espaços sustentáveis, hoje a Environmental está totalmente preparada para oferecer ideias e soluções inteligentes e ambientalmente corretas para se viver cada vez melhor e em harmonia com a natureza.

Que tal começar por onde você mora?

 

Texto: Maria Raquel da Silva – gestora de resíduos da Environmetal

Arte: FreePik.com 

Written by Luana Dias